Projeto Autodidata

Em busca de conhecimento
lista para refletir e pensar numa estratégia para ter sucesso

Capítulo 15 – Quem Pensa Enriquece – Como proteger-se do negativo

Trechos do capítulo 15 do livro Quem Pensa Enriquece. O sétimo mal básico: Como proteger-se contra influências negativas.

Além dos seis medos básicos, as pessoas sofrem de mais um mal, que prepara um terreno fértil para receber as sementes do fracasso – um mal tão sútil que sua presença frequentemente passa despercebida; uma fraqueza mais arraigada e fatal do que todos os outros seis medos. Na falta de uma denominação melhor, vamos chamar de suscetibilidade a influências negativas.

Influências negativas

Aqueles que acumulam grandes riquezas sempre se protegem contra esse mal; os pobres, não. Os bem-sucedidos em qualquer profissão devem preparar a mente para resistir a ele.

Se a sua intenção ao tomar conhecimento desta filosofia é conquistar riquezas, analise-se cuidadosamente para descobrir se é suscetível a influências negativas.

Depois de ler as perguntas, responda-as cuidadosamente, como se procurasse um perigo escondido, e trate as suas falhas como trataria um inimigo mais palpável.

Você pode prevenir-se contra roubos com a ajuda da lei, mas o “sétimo mal básico” é de muito mais difícil prevenção, pois ataca a qualquer momento, sem que se perceba sua presença.

Além disso, usa uma arma invisível, que consiste meramente em um estado de espirito. A ameaça lançada por esse mal é ainda mais grave, por serem suas formas de ataque tão variadas quanto são as experiências humanas.

Às vezes, penetra na mente por meio de palavras bem-intencionadas nos próprios parentes; em outra ocasiões, vem de dentro do próprio indivíduo, provocado por sua atitude mental. É sempre tão mortal quanto veneno, embora de efeito lento.

Como proteger-se contra influências negativas

Para proteger-se contra influências negativas, sejam elas criadas por você ou resultado das atividades de gente pessimista com quem convive, reconheça e utilize a sua força de vontade, ate construir em sua mente um muri de imunidade.

Saiba que todo ser humano é, por natureza, indolente, apático e suscetível a qualquer sugestão que esteja em harmonia com suas fraquezas.

Reconheça ser, por natureza, suscetível aos seis medos básicos e adote hábitos que os neutralizem.

Reconheça que influências negativas são difíceis de identificar e que frequentemente agem por meio do próprio subconsciente. Portanto, mantenha a mente fechada a todos aqueles que queiram abater ou desestimular você.

Esvazie a caixa de remédios, jogue fora as pílulas e pare de falar em gripes, dores e doenças imaginárias.

Busque a companhia de gente que incentive você a pensar e agir em seu próprio benefício.

Não espere problemas, a fraqueza mais comum do ser humano é o hábito de deixar a mente aberta a influências negativas de outras pessoas.

Essa fraqueza é ainda mais perigosa porque a maiorias das pessoas não a reconhece em si o, quando o fazem, não procuram corrigi-la, deixando que se instale, até tornar-se uma parte incontrolável de seu modo de ser.

Para ajudar aqueles que querem ver-se como realmente são, foi elaborada uma lista de perguntas. Leia-as e responda a elas em voz alta, para ouvir o som da própria voz. Assim, vai ser mais fácil dizer a verdade.

Perguntas para autoanálise

Você…

  • … reclama com frequência de sentir-se mal? Em caso de resposta afirmativa, por quê?
  • … repreende os outros por qualquer motivo?
  • … comete enganos frequentes em seu trabalho? Em caso de respostas positiva, qual é a causa?
  • … emprega palavras sarcásticas e agressivas?
  • … evita deliberadamente a companhia de outras pessoas? Em caso de resposta positiva, por quê?
  • … sofre com frequência de má digestão? Em caso de resposta positiva, por quê?
  • A vida lhe parece vazia, e o futuro, desanimador? Em caso de resposta positiva, por quê?
  • … gosta do seu trabalho? Em caso de resposta negativa, por que não?
  • … sente autopiedade? Em caso de resposta positiva, por quê?
  • … sente inveja de quem é mais bem-sucedido do que você?
  • A qual das situações você dedica mais tempo: ao sucesso ou ao fracasso?
  • Com o passar dos anos, a sua autoconfiança aumenta ou diminui?
  • … aprende com os próprios erros?
  • Permite que algum parente ou conhecido aborreça você? Em caso de resposta positiva, por quê?
  • …, às vezes, é só animação e em outros momentos cai em total desânimo?
  • Quem mais influencia você? Por quê?
  • … tolera influências negativas ou desanimadoras que poderia evitar?
  • … negligencia a aparência pessoal? Em caso de resposta positiva, por quê?
  • … consegue afastar os problemas, mantendo uma atividade produtiva, a ponto de não ter tempo para deixar-se atingir por eles?
  • … se consideraria uma pessoa fraca caso permitisse que outros tomassem decisões em seu lugar?
  • … procura se alimentar de modo saudável sempre, ou apenas quando sente algum tipo de mal-estar?

Não desanime de ler

  • Quantos aborrecimentos evitáveis incomodam você? Por que os tolera?
  • Você recorre a bebidas, drogas ou cigarros para “acalmar os nervos?” Em caso de resposta positiva, por que não exerce a força de vontade?
  • Alguém importuna você constantemente? Em caso de resposta positiva, por quê?
  • … possui um importante objetivo definido? Qual é? Quais são os seus planos para alcançá-lo?
  • … sofre de algum dos seis medos básicos? Em caso de resposta positiva, quais são eles?
  • … adota algum método de proteção contra influências negativas?
  • … faz uso deliberado da autossugestão para desenvolver uma mentalidade positiva?
  • O que você valoriza mais: bens materiais ou o dom de controlar os próprios pensamentos?
  • … se deixa influenciar com facilidade, mudando de opinião constantemente?
  • … hoje acrescentou algo de valor aos seus conhecimentos ou ao seu estado de espírito?
  • … enfrente circunstâncias adversas ou foge à responsabilidade?
  • … analisa os erros e fracassos, tentando tirar deles algum proveito, ou adota a atitude “isso não é problema meu”?
  • Quais são os seus três piores defeitos? O que tem feito para corrigi-los?
  • … incentiva outras pessoas a lhe contarem os problemas delas, de modo que possa ajudá-las?
  • … tira, das experiências diárias, lições ou influências que contribuam para o seu crescimento pessoal?
  • A sua presença costuma influenciar negativamente outras pessoas?
  • Que hábitos você considera mais irritantes nos outros?
  • … tem opinião própria, ou deixa-se influenciar por outras pessoas?
  • … é capaz de desenvolver um estado mental que sirva de proteção contra influências negativas?
  • O seu trabalho lhe inspira fé e esperança?
  • … está consciente de possuir forças espirituais capazes de manter a mente livre de qualquer forma de medo?
  • A religião ajuda você a manter uma mentalidade positiva?
  • … se sente no dever de participar dos problemas alheios? Por quê?

Ânimo =)

  • Se você acredita no ditado “Dize-me com quem andas e te direi quem és”, que conclusões tira a seu respeito ao observar o seu grupo de amigos?
  • Qual é a ligação, se é que existe alguma, entre as pessoas mais próximas a você e alguns aspectos em que se sente infeliz?
  • Seria possível alguém considerado por você como seu melhor amigo ser, na verdade, o pior inimigo, por causa da influência negativa que exerce sobre a sua mente?
  • Quais são as regras empregadas por você para determinar quem lhe faz bem e quem lhe faz mal?
  • … se cerca de pessoas mentalmente superiores ou inferiores?

Durante o dia

  • Das vinte e quatro horas do dia, quanto tempo você dedica a:

a) trabalho?

b) sono?

c) descanso e lazer?

d) aquisição de novas informações?

e) tempo livre?

Entre os seus conhecidos, quem:

a) mais oferece estímulo?

b) mais faz advertências?

c) mais o desestimula?

d) mais o ajuda de várias maneiras?

Continuando… Parte final

  • Qual é o seu maior aborrecimento? Por que tolera a situação?
  • Quando alguém lhe dá um conselho sem ser solicitado, você o aceita sem questionar ou procura descobrir os motivos que estão por trás?
  • Qual é o seu maior desejo, acima de tudo? Você pretende realizá-lo Abriria mão de todos os seus outros desejos em favor desse? Quanto tempo dedica por dia à realização desse desejo?
  • … muda de ideia com frequência? Em caso de resposta positiva, por quê?
  • … costuma terminar as tarefas que inicia?
  • … se impressiona facilmente com grandes empreendimentos, títulos profissionais, nível de formação ou bens materiais de outra pessoas?
  • … se deixa influenciar pelo que os outros pensam ou dizem a seu respeito?
  • … trata as pessoas de acordo com a condição social ou financeira delas?
  • Quem é o ser vivo que você mais admira? Em que essa pessoa é superior a você?
  • De quanto tempo você precisou estudar essas perguntas e responder a elas? (É necessário pelo menos um dia.)

O que fazer?

Se respondeu com sinceridade, você conhece mais a seu respeito do que a maioria das pessoas. Estude bem as perguntas e as respostas.

Durante vários meses, releia tudo uma vez por semana e vai surpreender-te com a quantidade de informações importantes que terá adquirido por meio de um método tão simples.

Se tiver dúvida quanto a algumas respostas, peça ajuda a alguém que conheça você bem e não tenha qualquer motivo para querer agradar. Veja-se pelo olhos do outro. A experiência pode ser interessantíssimo.

Controle dos pensamentos

Se existe alguma coisa sobre a qual você tem controle absoluto são os seus pensamentos. Esse é o fato mais significativo e inspirador, o reflexo da natureza divina no homem. Essa prerrogativa divina é o único meio de controlar o destino. Se você não controla a própria ente, não terá o controle de coisa alguma.

Se for deixar de lado algum aspecto da vida, que sejam os bens materiais. A mente é o seu estado espiritual! Proteja-a e use-a com o cuidado que se dispensa a um bem muito valioso. Para isso você tem força de vontade.

Infelizmente, não existe qualquer proteção legal contra aqueles que, de propósito ou por ignorância, envenenam as mentes alheias com sugestões negativas. A essa forma de destruição, deveriam ser aplicadas penas pesadas, pois as sugestões negativas impedem as chances que o indivíduo teria de adquirir bens materiais protegidos por lei.

Homens de mente negativa tentaram convencer Thomas Edison de que ele não conseguiria criar uma máquina capaz de registrar e reproduzir a voz humana, “porque ninguém jamais inventara tal máquina”. Edison não acreditou. Ele sabia que, quando a mente concebe uma ideia e acredita nela, pode concretizá-la. Foi essa sabedoria que fez dele uma pessoa especial.

Poder da autodisciplina

O controle da mente é resultado de autodisciplina e do hábito. Ou você controla a mente, ou ela controla você. Não existe meio-termo.

O meio mais prático de controlar a mente é mantê-la ocupada em um propósito definido, apoiado em um bom planejamento.

Procure conhecer a história de qualquer pessoa de sucesso e vai perceber que ela controla a mente, direcionando-a para objetivos definidos. Sem esse controle, o sucesso é impossível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *