Projeto Autodidata

Em busca de conhecimento
o que é e como desenvolver o sexto sentido para a riqueza

Capítulo 13 – livro Quem Pensa Enriquece – O sexto sentido

A porta para o templo da sabedoria – O décimo terceiro passo em direção à riqueza.

O décimo terceiro princípio é conhecido como sexto sentido. E através dele que a inteligência infinita se comunica, sem que o indivíduo precise pedir nada ou fazer qualquer esforço.

Esse princípio é o ápice da filosofia. Só pode ser assimilado, compreendido e aplicado depois de dominado os outros 12 princípios.

O sexto sentido é aquela porção do subconsciente chamada de imaginação criativa. Pode ser considerado também o “aparelho receptor”, que faz surgirem na mente ideias, planos e pensamentos – às vezes vistos como intuições ou inspirações.

É impossível descrever o sexto sentido a alguém que não tenha dominado os outros princípios dessa filosofia, pois não há conhecimento ou experiência para fazer comparações.

Só se entende o sexto sentido pela meditação, com o desenvolvimento da mente de dentro para fora. O sexto sentido é, provavelmente, o meio de contato entre a mente finita do homem e a Inteligência Infinita; por esse motivo, é ao mesmo tempo mental e espiritual. Acredita-se que seja o ponto em que a mente humana entra em contato com a mente Universal.

Com a ajuda do sexto sentido, é possível ser avisado de perigo a tempo de evitá-los e de oportunidades a tempo de aproveitá-las.

Com o desenvolvimento do sexto sentido, você passa a ter sempre ao seu lado e às suas ordens um “anjo da guarda” que mantém permanentemente abertas as portas do Templo da Sabedoria.

O caminho para ser uma pessoa melhor é imitar ao máximo pessoas admiráveis, em sentimento e ação.

Moldando o caráter pela autossugestão

Você cai precisar de muita coragem se quiser alcançar o seu propósito na vida. Quando vierem as dificuldades, lembre que pessoas comuns têm senso comum. A adversidade o desenvolverá.

A vida consiste em grandes concentrações de energia, ou entidades, todas tão inteligentes quanto os seres humanos pensam ser. Essas unidades de vida agrupam-se como enxames de abelhas e assim permanecem, até se desintegrarem por falta de harmonia. Tais unidades apresentam diferenças de opinião, como os sere humanos, e frequentemente lutam entre si.

As unidades de vida nunca morrem! Os seus pensamentos e desejos atuam como ímãs a atrair unidades de vida – mas não todas: somente aquelas que estejam em harmonia com o que você pena e deseja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *